Seu projeto fracassou? E agora?

Seu projeto fracassou? E agora?

"Fracassar de vez em quando é um bom sinal, mas você devia fazer isso direito", diz um artigo da série Quartz at Work

A primeira regra do fracasso é falar sobre o fracasso.

Perry Hewitt, o autor da reportagem, destaca uma lição da indústria de software, onde as equipes conduzem "blameless post-mortens" (ou seja, discussões sobre o problema em que não se buscam culpados) para identificar vulnerabilidades sistêmicas em processos, tecnologia e práticas a fim de aprender e melhorar.

É útil trazer um terceiro para facilitar a discussão e fazer perguntas que revelem, entre outras coisas:

  • A cronologia dos eventos e uma compreensão compartilhada de como eles se desenrolaram.
  • Contexto para quaisquer avaliações ou julgamentos que tenham sido feitos.
  • Coisas que as pessoas sabiam (e podem ter assumido que eram conhecimentos comuns).
  • Os estados de espírito dos membros da equipe no momento do erro.
  • Modelos mentais sobre como as coisas deveriam funcionar e como eles são compartilhados ou diferem dentro do time.
  • Fatores que levaram as pessoas a uma ação específica.
  • Sinais que fizeram com que as pessoas pedissem ajuda - ou não.

A partir dessa reunião, identifique ações para evitar futuras falhas similares.

Aceite responsabilidade pessoal

"Embora falhas no projeto possam ter muitas causas diferentes, a liderança do projeto tem a responsabilidade final. Examine como seus comportamentos contribuíram para a falha", escreve Hewitt. 

Compartilhe o que você tiver aprendido para melhorar os processos.

Esta é plenamente auto-explanatória.