Resgate sua vida da tecnologia e foque no que importa

Semanas atrás o amigo e ex-colega Guilherme Felitti me contou que ouviu no Vox um podcast com um pesquisador chamado Cal Newport, que explora o conceito de "deep work". Por incrível que pareça, não conhecia o Newport - mas agora já estou lendo o livro dele chamado justamente "Deep Work" e achando muito interessante. No podcast em questão, Newport discute como resgatar a sua vida da tecnologia e focar no que importa, recuperando sua "aptidão cognitiva" e assumindo o controle de seu tempo. É uma conversa com o titular do podcast, Ezra Klein, postada em 21 de abril.

Klein começa contando que Deep Work mudou sua vida "pela mais literal das razões". Ou seja, mudou o modo como ele vive a sua vida. "Particularmente, me levou a parar de agendar reuniões matutinas e a preservar esse tempo para um trabalho mais sustentado e criativo", diz ele. Exatamente uma das sugestões apresentadas em meu livro Rotinas Criativas, no capítulo sobre "manhãs criativas". Newport, porém, tem um interesse mais agudo em como o ambiente digital que habitamos nos treina para desperdiçar concentração e estimular a distração "de maneiras que são ruins para nossas mentes, ruins para o nosso trabalho e, finalmente, ruins para o mundo".

"Se você priorizar a profundidade, concentrando-se intensamente em coisas que importam, sendo cético em relação às coisas rasas (...), isso não o transforma em um autômato. Na verdade, (...) amplifica o que o torna humano", afirma Newport. Ele termina o livro com esta citação: "Uma vida profunda é uma vida boa".

"Mas Newport não é apenas um filósofo da tecnologia", nota Klein. Em dado momento da entrevista, ele pergunta: "Digamos que você está ouvindo isso, está convencido [de que deve adotar o 'deep work'], mas realmente não sabe por onde começar. Quais são os três primeiros passos que você gostaria que alguém desse?" Newport responde: "Em termos de tentar ativamente promover a profundidade em sua vida, comece por colocar em sua agenda alguns compromissos com você mesmo para fazer 'trabalho profundo'". Ele recomenda tratar esses compromissos como você trataria uma consulta médica ou uma reunião com investidores. A segunda coisa a fazer é, nas palavras de Newport, "dar algum passo para começar a ganhar de volta a aptidão cognitiva". Por exemplo, tirar aplicativos de mídia social do seu smartphone. A terceira providência que ele sugere é começar a agendar tempo para atividades novas e estimulantes. A íntegra do podcast está disponível aqui